quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

E Deus manifestou-se em carne



Não há dúvida de que grande é o mistério da piedade:

 Deus foi manisfestado em corpo,
 justificado no Espírito,
 visto pelos anjos,
 pregado entre as nações,
 crido no mundo,
 recebido na glória.
(1 Timóteo 3.16 - NVI)

Ainda hoje muitas pessoas fazem confusão acerca da pessoa de Jesus. Uns o pintam como um mestre iluminado, não sendo diferente de qualquer Buda ou Dalai Lama, sendo comparado a Gandhi etc. Outros o colocam no rol dos profetas ou dos líderes políticos, e outros ainda dizem que Jesus não existiu.

Mas eu e você somos convidados a crer que Jesus existiu, há inúmeras evidências a favor disto, e que ele não era um simples líder religioso, mestre iluminado, profeta, agitador político ou personagem de uma lenda. O testemunho histórico nos faz crer que Jesus existiu de fato, mas a palavra de Deus é que nos mostra quem foi esse homem chamado Jesus.

A palavra de Deus, sua mensagem, tem como princípio revelar a nós o Deus invísivel, e nos fazer saber qual é a vontade dEle para nossas vidas. Ou seja, a Palavra é a revelação de Deus, e Jesus nos é apresentado como a Palavra (João 1.1-3); pois ele é a última revelação do Deus invísivel (Hebreus 1.1-3), a expressão do amor de Deus e de sua vontade para conosco. Jesus, a Palavra, é Deus se manifestando aos homens de forma que eles pudessem vê-lo (ainda que o tenham desprezado...), ouvi-lo (...ainda que não tenham lhe dado ouvidos), tocá-lo (ainda que o tenham ferido) e crê-lo (...ainda que não o tenham crido, não todos).

Deus, através de Seu Filho, que é o " resplendor da sua glória e a exata expressão do Seu ser"(Hebreus 1.3 - NVI) tornou-se um como nós, irmanou-se com a humanidade, viveu neste mundo, sofreu neste mundo e morreu para que pudéssemos viver com Ele, e ressucitou para que tivéssemos certeza disto.

Que a graça e paz do Senhor Jesus sejam com o seu espírito.

Um abraço.

Nenhum comentário:

Seguidores