quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Orando com sinceridade



Salmo 27.16-18

A Bíblia nos ensina que a oração é meio de falarmos com Deus. Através da Palavra de Deus nos deparamos com muitas orações de homens e mulheres do passado, que viveram uma vida santa e agradaram a Deus. Mas o interessante é que e essas pessoas não apresentavam-se ao Senhor sem tentar encobrir sua fraquezas.

Temos vivido tempos de grande necessidade de oração. Não são poucos os pedidos de intercessão que ouvimos nos templos ou mesmo em estarmos com os amigos; os dias são maus, e o melhor que podemos fazer é apresentar as nossas vidas a Deus. Só que muitos ainda insistem em orar como se fossem mais que merecedores da atenção de Deus, são aqueles "filhos exigentes", se é que podem ser chamados de filhos. Mas Deus, que não se engana, não se agrada de tais orações. Devemos orar com sinceridade.

"Volta-te para mim e tem misericórdia de mim, pois estou só e aflito."
(Salmo 27.16 - NVI)

Davi apresenta-se a Deus, pede sua atenção e misericórdia, e apresenta sua situação resumidamente. Antes de chegar a este ponto, Davi exalta a Deus com fervor (leia os versos anteriores); até aqui parece uma oração simples, e é. Mas essa simplicidade é um ponto que falta nas orações que fazemos por diversas vezes. Pedimos e pedimos e pedimos... e nem sequer falamos com Deus como filhos, pois exigimos, cobramos, e apresentamos a Deus tudo o que não somos como se fôssemos (hipocrisia??).

"As angústias do meu coração se multiplicaram; liberta-me da minha aflição."
(Salmo 27.17 - NVI)

Davi expressa o que sente, o que lhe vai no coração; ele "derrama sua alma" diante de Deus. Ao contrário de alguns que fingem estar tudo bem, quando oram a Deus não falam da tristeza que sentem ou de sua angústia etc, pois já padronizaram a sua oração. Oração é diálogo, não é algo decorado que se pronuncia. Fale do que lhe vai no coração. Seja sincero.

"Olha para minha tribulação e o meu sofrimento, e perdoa todos os meus pecados."
(Salmo 27.18 - NVI)

Por fim, Davi pede (ele não exige) que Deus considere o que tem sofrido, sua situação, e, num ato de sinceridade, suplica o perdão de todos os seus pecados. Ele sabe que Deus pode tirá-lo daquela angústia, e recorre a Ele; mas não deixa de reconhecer que em sua vida ocorreram coisas que desagradaram a Deus (atitudes, pensamentos, a velha omissão etc), então ele pede perdão ao Senhor. Aí está um pedaço importante da oração de "um homem segundo o coração de Deus".

Em vez de um conjunto de palavras bonitas e bem colocadas ou um discurso extenso, nossa oração deve ser cheia de sinceridade e humildade. Não adianta gritar, machucar os joelhos ou cometer qualquer outro excesso. Nossa oração deve ser uma conversa sincera com o Pai, e tenha certeza de que Ele quer ouvir você.

Que a graça e paz do Senhor estejam com você!

Um forte abraço.

Nenhum comentário:

Seguidores