sábado, 10 de abril de 2010

Chamados por Deus



Graça e paz sejam contigo!

Não pretendo ser pesado nas minhas palavras, mas quero trazer uma reflexão sobre a dura realidade em que vivemos. Pois nos nossos dias é grande a multidão dos que se declaram “chamados”, mas em sua maioria os tais não demonstram ter ciência da vida comprometida que é própria dos que foram chamados por Deus.

Imagem: Mão estendida

Propósito e consequência do CHAMADO

Não sei se por falta de conhecimento ou se por rebeldia deliberada, mas os que tomam para si o título de “chamados pelo Senhor” parecem desconhecer absolutamente o porquê ou para quê foram chamados, se é que de fato o foram. Não ignoro que o Senhor chama pessoas para si, o que não compreendo é que esse chamado apenas corresponda às expectativas da pessoa (trazendo-lhe incontáveis benefícios, atribuíndo-lhe status) enquanto em nada atende ao que Deus espera dos seus chamados.

João 15

16 Vocês não me escolheram, mas eu os escolhi para irem e darem fruto, fruto que permaneça, a fim de que o Pai lhes conceda o que pedirem em meu nome. 17 Este é o meu mandamento: Amem-se uns aos outros.

O verso acima é constantemente citado no sentido de reforçar a idéia de que as pessoas são chamadas por Deus para serem beneficiadas. É incrível como o curto trecho “a fim de que o Pai lhes conceda o que pedirem em meu nome” é tão enfatizado enquanto todo o restante do precioso texto é ignorado.

Não somos chamados simplesmente para recebermos tudo o que pedirmos ao Pai em nome de Jesus, não mesmo. Somos chamados para irmos e para darmos fruto que permaneça, isto é, para seguirmos atuando em todas as instâncias de nossa vida, tendo como resultado dessas ações frutos que constituam um testemunho eficaz e duradouro; algo que evidencie a ação do Espírito e da Palavra de Cristo em nós. E, além disso, também recebemos um mandamento: Que amemos-nos uns aos outros.

Em João 15.7,8 Jesus disse algo importante e que corrobora com o entendimento que alcancei sobre isso: pedir e ser atendido é consequência de viver frutificando para Deus. Tanto é que ele deixou claro que não são os pedidos atendidos que glorificam a Deus, mas o fato de darmos muito fruto. Se você se considera chamado e entende que esse chamado glorificará a Deus, compreenda que as suas metas envolvem frutificar e exercitar o amor.

Chamados para a LIBERDADE

Outro ponto que entra em conflito com a possível biblicidade de um chamado é a liberdade da qual sentem-se possuidores os supostos chamados. Nossa liberdade em Cristo é real, mas quando entregamos nossas a vidas a Deus passamos a viver pelo Espírito e não pela carne; daí a nossa liberdade não tenderá à satisfação das nossas vontades e paixões, mas da vontade daquele que nos chamou.

Gálatas 5

13 Irmãos, vocês foram chamados para a liberdade. Mas não usem a liberdade para dar ocasião à vontade da carne; ao contrário, sirvam uns aos outros mediante o amor.

Temos liberdade em Cristo, porém não devemos usar dessa liberdade para satisfazer nossa vontade, sem pensar em Deus e no nosso próximo. O chamado envolve liberdade e responsabilidade, uma vida inconsequente destoa do que se espera de uma pessoa chamada por Deus.

Chamados para um VIVER DIGNO

Se fomos chamados, o fomos para experimentar uma nova vida. Mas Deus não encarnou em nós e passou a controlar as nossas ações; ele nos deu a conhecer a sua vontade, pela sua Palavra, e nos deu a capacidade de discernir, pelo seu Espírito, qual seja a maneira de viver que convém aos que foram chamados. Exercer um viver digno é competência nossa.

Efésios 4

1 Como prisioneiro no Senhor, rogo-lhes que vivam de maneira digna da vocação que receberam. 2 Sejam completamente humildes e dóceis, e sejam pacientes, suportando uns aos outros com amor.

Veja que Paulo rogou que os irmãos vivessem de maneira digna da (eu diria “compatível com”) vocação que receberam. Logo começo a me questionar: Se fomos chamados para anunciar boas novas, por que amaldiçoamos as pessoas? Se fomos chamados para exercer misericórdia, porque somos tão insensíveis à dor alheia? Se fomos chamados para viver em amor, por que odiamos os que consideramos pecadores perdidos?

Alguns dos que se autointitulam chamados por Deus são arrogantes, presunçosos, iracundos (principalmente quando questionados), impacientes e não suportam os demais, pois falta-lhes amor. Será que assim estão vivendo de maneira digna da sua vocação? Pensemos bem se o nosso modo de viver é digno do chamado que recebemos, não falo somente de cargos ou vocações eclesiásticas, pois todos fomos chamados das trevas para a luz.

Conclusão

A idéia de que fomos chamados para recebermos bençãos, termos nosso status social elevado, sermos reconhecidos, “conquistarmos e possuirmos” algo, parece (e de fato é) muito mais atraente do que a realidade: somos chamados, não para recebermos privilégios, mas para responsabilidades: “para irem e darem fruto, fruto que permaneça”.

Não fomos chamados para uma religiosidade fingida nem para enriquecermos materialmente, nem para sermos amados por este mundo ou para termos vantagens sobre os demais. Nossa religião deve ser amar ao próximo a ponto de socorrê-lo nas suas necessidades (Tiago 1.27), ver o Deus invisível em cada irmão (1 João 4.11-12), doarmos-nos a Deus tanto quanto Ele doou-se a nós, sermos dEle tanto quanto Ele deseja ser nosso, estarmos nEle tanto quanto Ele anseia estar em nós: Deus é amor!

Que a graça e paz, a misericórdia e o amor de Deus estejam sobre você.


Nota: Todas as citações foram extraídas da Bíblia Sagrada, Nova Versão Internacional (Ed. 2001).


3 comentários:

Mauricio disse...

Nenhum tema seria tão propicio como este para retomada das postagens. Se por uma lado vemos tantos crentes autochamados denegrindo o autentico evangelho, por outro vemos muitos verdadeiramente chamados relutando com Deus que passe deles este cálice. Mas que prevaleça em nós o desejo de fazer a vontade daquele que nos alistou.

Ozeniccy disse...

"A idéia de que fomos chamados para recebermos bençãos, termos nosso status social elevado, sermos reconhecidos, “conquistarmos e possuirmos” algo, parece (e de fato é) muito mais atraente do que a realidade: somos chamados, não para recebermos privilégios, mas para responsabilidades: “para irem e darem fruto, fruto que permaneça”.

Realmente o texto é muito bom... Nos dias atuais, certas igrejas estão confundindo a mente dos seus fiéis, distorcendo os reais objetivos de ser chamados por DEUS.

Deus tenha misericódia de nós!

Em Cristo,

Ozenice Almeida
www.evangelismoelouvor.com

joshua disse...

Parabéns pelo belíssimo blogue!

PALAVROSSAVRVS REX

Seguidores