sábado, 18 de julho de 2009

Removendo montes



Mateus 21

21 Jesus respondeu: "Eu lhes asseguro que, se vocês tiverem fé e não duvidarem, poderão fazer não somente o que foi feito à figueira, mas também dizer a este monte: 'Levante-se e atire-se no mar', e assim será feito.

22 E tudo o que pedirem em oração, se crerem, vocês receberão".

Bíblia Sagrada - Nova Versão Internacional, NVI (Ed. 2001).

Montes

Quando estamos diante de problemas de ordem material, emocional etc, que são deveras grandes se comparados com nossa capacidade de solucioná-los (que às vezes é praticamente nula), gostamos de lembrar e citar a passagem do texto em apreço, como que querendo despertar em nós mesmos uma "fé colossal", "removedora de montes", "solucionadora de problemas" ou algo do gênero. Mas será que Jesus estava nos ensinando simplesmente a "usar uma fé tipo Espinafre do Popeye"? Será que o texto se resume à solução de problemas materiais?

Algumas pessoas, diante do mesmo texto, em vez de inquirir qual seja o seu significado, apenas usam-no para fazer propaganda daquela fé fantástica, dizem coisas como:

- Você pode tudo pela fé! Desde que você tenha a verdadeira fé "está tudo dominado".

- Remova já os montes do desemprego, da doença, da infidelidade conjugal, da urucubaca...

Não duvido que Deus nos favoreça diante das dificuldades e nos ajude a superar obstáculos na vida de uma forma geral. Mas conseguir um bom emprego não é um ato que depende única e exclusivamente da fé, se fosse assim, todos os incrédulos e ateus viveriam desempregados e em estado de extrema probreza; o que de fato não ocorre. O problema que aponto aqui, é que existem montes reais num território inexplorado chamado nosso "eu interior". Essas montes são realmente grandes e só podem ser removidos por completo se você tiver fé.

Nós recebemos a fé como um presente que Deus, mediante nosso ato de aceitar sua palavra e a ação do seu Espírito, gerou no nosso interior. Logo, o principal foco da fé não está nas coisas exteriores, mas nas interiores. Pois de que me adianta ter carros, casas, empresas e montes de dinheiro, uma saúde de ferro etc e tal, tudo alegadamente conquistado por meio da fé, se eu continuo avarento, presunçoso, mentiroso, trapaceiro, pervertido, cruel, iracundo, viciado, sem amor ao próximo etc e outro tal? Será que a fé é uma chave que abre todas as portas, menos a mais importante - aquela por meio da qual Deus entra em nossas vidas e nos transforma? Será que Deus nos presenteou com a fé para que nós fizéssemos riqueza nesta vida?

A primeira monte que a fé vem remover em nós é o monte da incredulidade, em seguida a da falta de temor a Deus, e assim por diante; porque a fé nos aproxima de Deus, nos transforma em uma nova criatura (o desejo desenfreado pelas coisas materiais não é novidade, portanto deve dar lugar às coisas novas). Esses são os verdadeiros montes que devemos ter em mente quando buscarmos exercitar a nossa fé. Ter coragem de gritar "Deus, me dá um carro!", é fácil. Difícil é dizer coisas como:

- Deus, me ajuda a vencer meus vícios...

- Deus, me ajuda a cultivar o amor ao próximo... (como todos presumem que amam, nem falam com Deus sobre o assunto).

- Deus, me ensina e me ajuda a realizar a tua vontade... (a vontade de Deus é sempre o melhor para nós, pedí-la é melhor que pedir o dinheiro do mundo todo).

- Deus, remove de dentro de mim o monte da avareza e do materialismo...

- Deus, me ajuda a dar um testemunho verdadeiro e edificante...

Armado do escudo da fé, vença toda oposição à vontade de Deus. E quando a sua vontade estiver alinhada à dEle, você não vai mais gastar seu precioso tempo em correntes e vigílhas em busca de benefícios meramente materiais, mas você empregará o seu tempo em buscar experimentar a plenitude da vida que Deus preparou para você: uma vida santa, virtuosa, firmada na Gloriosa Esperança, uma vida de fé!

Que Deus te abençoe em nome de Jesus.

Um abraço.

Nenhum comentário:

Seguidores