quarta-feira, 22 de abril de 2009

Sendo confirmados na obediência



1 Samuel 13

13 Disse Samuel: "Você agiu como um tolo, desobedecendo ao mandamento que o Senhor, o seu Deus, lhe deu; se você tivesse obedecido, ele teria estabelecido para sempre o seu reinado sobre Israel."

Nota: Bíblia Sagrada - Nova Versão Internacional (NVI).


Que a paz do Senhor Jesus seja com a sua alma.

Uma das virtudes que Deus mais aprecia no homem é a obediência; não uma obediência fingida ou cheia de 'segundas intenções', mas a obediência pura, sincera e movida pelo amor: como a obediência dos filhos aos pais. Se bem que hoje poucos filhos servem de exemplo neste quesito...

O pecado de Adão consistiu na 'simples desobediência'; ele não fez nenhuma revolução, não fez nada de extraordinário, só não cumpriu a ordem que recebeu (Gênesis 2.15-17; 3.6-11,17). A desobediência ou insubordinação é a base de todas as ações cometidas contra Deus, ou seja, de todo pecado. Com Saul não foi diferente; o homem era rei sobre Israel, tinha o favor de Deus para governar, mas andou em desobediência e perdeu a comunhão com Deus (o que o levou a consultar até mesmo uma necromante - 1 Samuel 28) e o direito de reinar sobre o povo que Deus escolheu para si (1 Samuel 13.14).

Mas o que Saul fez, para não ser estabelecido o seu reino? Ele não teve paciência de esperar por Samuel - o profeta, sacerdote e juiz - e, sendo ele o rei, adiantou-se em oferecer o holocausto ao Senhor, o que era função de Samuel. Ele esperou por sete dias, como Samuel havia aprazado, mas já que Samuel não havia chegado até então, e os soldados que estavam com Saul aparentavam insegurança, ele, 'cheio de boas intenções', tomou o lugar do sacerdote e ofereceu o sacrifício. Simples assim. Desobedecer a Deus é fácil, mas obedecer é sempre o melhor caminho.

Jesus, que obedecia ao Pai em tudo (João 8.29), contou uma parábola sobre um homem e seus dois filhos na qual ele nos ensina que a obediência vem do coração, mas é demonstrada em ações e não apenas em palavras.

28 Mas, que vos parece? Um homem tinha dois filhos, e, dirigindo-se ao primeiro, disse: Filho, vai trabalhar hoje na minha vinha.

29 Ele, porém, respondendo, disse: Não quero. Mas depois, arrependendo-se, foi.

30 E, dirigindo-se ao segundo, falou-lhe de igual modo; e, respondendo ele, disse: Eu vou, senhor; e não foi.

31 Qual dos dois fez a vontade do pai? Disseram-lhe eles: O primeiro. Disse-lhes Jesus: Em verdade vos digo que os publicanos e as meretrizes entram adiante de vós no reino de Deus.

(Mateus 21 - ACRF, Ed. 1994)

A obediência é declarada nas palavras, mas é confirmada nas ações. De nada vale uma declaração que não pode ser confirmada; da mesma maneira a obediência declarada é invalidada se não há atos de obediência.

Mas a história de Saul tem muito a ver com a nossa. Fomos chamados para tomar parte no Reino de Deus, isto é, experimentar a vida que Ele preparou para nós; não falo de bens materiais, ótimos empregos ou uma saúde de ferro, estou falando de uma vida de comunhão com Deus que nos leva a superar qualquer dificuldade e, pela fé, ver as bençãos de Deus chegarem até nós, bençãos que o mundo não pode receber, e ainda vislumbrar o que nos está reservado na eternidade e que, de igual modo, receberemos se não desfalecermos da nossa obediência ao Pai.

2 ...escolhidos de acordo com o pré-conhecimento de Deus Pai, pela obra santificadora do Espírito, para a obediência a Jesus Cristo e a aspersão do seu sangue...

14 Como filhos obedientes, não se deixem amoldar pelos maus desejos de outrora, quando viviam na ignorância.

22 Agora que vocês purificaram a sua vida pela obediência à verdade, visando ao amor fraternal e sincero, amem sinceramente uns aos outros e de todo o coração.

(1 Pedro 1 - NVI; grifo meu)

Nós fomos chamados, pela graça, para viver em obediência. Não é apenas gritar aos quatro cantos do mundo dizendo: 'eu tenho orgulho de ser cristão', não; isso é muito fácil, até um ateu pode fazer. Mas é seguir os passos de Cristo, viver para obedecer a Deus; e a vontade de Deus se resume em: que O amemos, acima de tudo, e ao próximo como a nós mesmos. A graça nos diz: 'Viva e faça estas coisas'. E assim somos estabelecidos como participantes do Reino de Deus, como filhos do pai que Ele é (1 João 3.10,14-19; 4.15-21; 5.2,3).

Que Deus abençoe você.

Um abraço.

Nenhum comentário:

Seguidores