terça-feira, 24 de março de 2009

Encontrando o Perdão



Salmo 32

1 Como é feliz aquele que tem suas transgressões perdoadas e seus pecados apagados!

2 Como é feliz aquele a quem o Senhor não atribui culpa e em quem não há hipocrisia!

3 Enquanto eu mantinha escondidos os meus pecados, o meu corpo definhava de tanto gemer.

4 Pois dia e noite a tua mão pesava sobre mim, minhas forças foram-se esgotando como em tempo de seca.

5 Então reconheci diante de ti o meu pecado e não encobri as minhas culpas. Eu disse: Confessarei as minhas transgressões ao Senhor, e tu perdoaste a culpa do meu pecado.

Nota : Bíblia Sagrada - Nova Versão Internacional (NVI).


Imagem Homem cabisbaixo

Que a graça e paz do Senhor Jesus sejam multiplicadas a você.

Uma característica comum a todos os seres humanos é a incrível capacidade de cometer erros, tanto é que se criou um ditado: "Errar é humano". E qual de nós não tem falhas? Qual de nós é perfeito à medida de Cristo? Quantos dentre nós não têm pecados? Todos temos, pois todos pecaram e se afastaram de Deus (Romanos 3.10-18, 23). Mas o que devemos fazer? Entender que pecar é normal? Aceitar que somos tendenciosos ao erro e nos conformarmos com isto? Ou devemos fazer o papel de bons homens, criticando os pecados dos outros e exibindo virtudes que muitas vezes nem existem em nós?

O Salmo 32 é atribuído a Davi, e nele podemos enxergar um homem que serve a Deus exaltando-O por suas misericórdias, mas ao mesmo tempo relatando a amargura que sentiu por seus pecados até que experimentasse o perdão. Vejamos em detalhes: No primeiro verso lemos que "aquele que tem suas transgressões (erros, falhas) perdoadas e seus pecados apagados é feliz", mas muito feliz mesmo, não havendo felicidade que se compare com a dele; em seguida o salmista ressalta "que essa admirável felicidade habita aqueles a quem o Senhor não atribui culpa e em quem não há hipocrisia", ou seja, "felizes são aqueles recebem o perdão e não vivem uma religiosidade fingida, mas são sinceros diante de Deus". Entendemos melhor quando prosseguimos com a leitura.

É exatamente no terceiro verso do salmo que o escritor começa a falar daquilo que o levou a concluir que os "que recebem o perdão de Deus e que não são hipócritas diante do Senhor" são muito felizes. Pois ele passa a relatar sua experiência pessoal. Ele confessa que "mantinha seus pecados escondidos", o que na verdade é impossível, pois Deus nos vê de toda forma, mas o que ele quer dizer é que ele estava agindo de maneira hipócrita, praticando uma religiosidade fingida equanto acumulava uma multidão de pecados. Ele também fala do terror de sentir culpa (no verso quatro), pois era como se Deus o estivesse castigando dia após dia, o que nos leva a entender que a comunhão que ele tinha com Deus já havia sido afetada; ele não via mais em Deus o seu Senhor, seu Pastor (como no Salmo 23), seu Guia, seu Amigo ou seu Pai, o que ele enxergava era um juiz pronto para condená-lo, um carrasco prestes a submetê-lo aos castigos devidos, uma imagem aterradora que o enfraquecia ainda mais.

Chegando a esse ponto, mostrado no verso quatro, há uma certa indiposição para buscar o perdão, pois sentimos medo. Vêm aquelas perguntas: "Será que Deus vai me perdoar?" ou "Será que eu ainda sirvo?" ou "Será que ainda tem jeito para mim?" ou ainda "Será que eu ainda sou crente?". Diante de toda a pressão de conviver com o medo e a culpa, num último esforço, o salmista buscou um escape. E, como quem desabafa, ele confessou a Deus o quanto estava sendo fingido em suas ações, pois foi lá e expôs todas as suas transgressões e culpas. Mas quero que você note bem a expressão do verso cinco:

Eu disse: Confessarei as minhas transgressões ao Senhor, e tu perdoaste a culpa do meu pecado.

O que há de especial aí? O salmista nos diz que enquanto ele ainda dizia consigo mesmo que "iria confessar a Deus as transgressões que cometera", ele já podia sentir o alívio do perdão. Pois o verso imediatamente mostra a resposta de Deus. Um coração arrependido e sincero é alvo certo do perdão de Deus, e Ele não erra a pontaria.

É desejo de Deus, perdoar as nossas transgressões e nos livrar das nossas culpas; mas cabe a nós buscar ao Senhor. Se você estiver diante das suas trangressões, fraco e abatido, e sentido o peso das suas culpas: anime-se! Seja sincero com Deus, derrame sua alma diante dEle, confesse seus pecados, busque o perdão e seja perdoado!

Que o Deus de infinita misericórdia esteja abençoando a sua vida em nome de Jesus. Amém!

Um abraço.

Nenhum comentário:

Seguidores