sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

O Preço do Discipulado



Lucas 14

33 Da mesma forma, qualquer de vocês que não renunciar a tudo o que possui não pode ser meu discípulo.

    Nota: Bíblia Sagrada - Nova Versão Internacional (NVI).


Quando comecei a refletir sobre o texto bíblico, que no meu exemplar da Bíblia tem como epígrafe O Preço do Discipulado (Lucas 14.25-35 - NVI), fiquei pensando no que se passaria na cabeça de cada leitor. Quando falamos de preço, é normal associar tal termo a valores pecuniários ou bens que representem algum valor; assim, o título gera um certo questionamento: "tem que se pagar para ser discípulo"? O versículo que cuidei em reproduzir, visto sob esta ótica, é ainda mais intrigante, pois diz que para ser um discípulo de Jesus é necessário renunciar a tudo quanto se possui. Como podemos entender isto?

Talvez tenha se passado por sua cabeça que Deus não precisa de dinheiro ou de bens materiais, e de fato Ele não precisa. Ou talvez você até já deve estar chegando à conclusão de que este texto foi adulterado, para que as pessoas que lessem fossem constrangidas a "doar seus bens para a igreja". Mas o que o texto fala claramente, é que se alguém ama qualquer outra pessoa ou os seus próprios bens com um amor que exceda àquele que o mesmo dedica a Jesus (e, por extensão, ao Pai), o tal não pode ser considerado discípulo de Jesus. O apego às coisas desta vida contrapõe-se ao amor a Deus (1 João 2.15-17).

"Se alguém vem a mim e ama a seu pai, sua mãe, sua mulher, seus irmãos e irmãs, e até sua própria vida mais do que a mim, não pode ser meu discípulo. E aquele que não carrega a sua cruz e não me segue não pode ser meu discípulo".
(Lucas 14.26,27 - NVI)

Agora ficou mais claro, não é? Se você vai a Cristo, não deve ir pensando no que a família fará em relação a isto ou mesmo no risco que isto poderá trazer à sua vida (v.26) e mais, deverá estar disposto a suportar afronta e sofrimento, pois Cristo também sofreu por você (v.27). Daí podemos entender que o preço do discipulado chama-se RENÚNCIA. Pois acontece de se estar diante das verdades bíblica e às portas da fé, e ainda assim se pensar:
    "O que a minha família vai dizer disto"?
Ou:
    "E os meus amigos, o que dirão"?
Ou ainda:
    "Pronto"! (num tom desconfiado/raivoso) "Se vou por aí, não poderei continuar ostentando meus bens, curtindo minha vida etc e tal".

Aí está o problema, um apego exagerado a tais coisas, que chega a exceder o amor que você deveria expressar por Jesus, entregando sua vida a ele como ele entregou a dele por você. Jesus não ficou fazendo conta de prejuízos quando veio aqui ser preso, humilhado, esbofeteado e morto por amor de nós; ele sabia o que estava para sofrer, mas o amor que ele tem por nós está acima de todas essas coisas. Então, se você insiste em manter-se apegado ao que você tem nesta vida (família, bens ou até mesmo sua própria vida) a ponto de negar seu amor a Deus, fazendo tudo para manter-se com essas coisas, ainda que desagrade a Deus... Você está fora! Não pode ser discípulo.

Quero, porém, deixar bem claro que renunciar não consiste em sair por aí rasgando dinheiro, xingando e desprezando a família, fazendo jejuns exagerados, se isolando da sociedade etc; renunciar é, antes de tudo, saber que tudo quanto temos pertence a Deus, pois foi Ele quem nos fez administradores de tais coisas, inclusive das nossas vidas; Ele nos deu Seu voto de confiança, concedendo-nos o direito de administrá-las. Daí, cabe a nós, reconhecermos que todas as coisas são do Senhor (inclusive nossas vidas) e que nada temos sem Ele, e ainda, que Ele está acima de tudo o que possuímos, sendo nós mesmos possessão dEle.

Nós somos muito preciosos aos olhos dEle (João 3.16), e se Ele nos dá tal valor, que valor devemos dar a Ele? Ele deve ser mais estimado do que todos os nossos bens, mais do que a nossa própria existência. Assim, renunciar é ser capaz de dizer como Davi:

Ao Senhor declaro: "Tu és o meu Senhor; não tenho bem nenhum além de ti".
(Salmo 16.2 - NVI)

Que a graça e a paz do Senhor Jesus sejam multiplicadas a você.

Um abraço.

Nenhum comentário:

Seguidores