sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Três coisas imprescindíveis para a realização do trabalho do Senhor - 1



Meus amados, Graça e Paz.

Em todo o trabalho que fazemos, dependendo do tipo, da importância, da minunciosidade, do risco e das implicações que vem depois, faz-se necessário que tomemos alguns procedimentos antes. Por exemplo, lembro-me que uma vez, conversando com minha esposa, que é enfermeira, ela me falou da quantidade de procedimentos de limpeza que ela tinha que realizar antes de entrar numa sala de cirurgia para ajudar o médico na instrumentação. Ela me falou em um tão grande número de procedimentos que, para ser sincero, me recordo apenas da mudança de vestuário para um vestuário específico e do procedimento de lavar as mãos. Procedimento, não, ritual! Como é complicado e minuncioso o procedimento de lavar as mãos para a realização de uma cirurgia! Todavia, sabemos que todos esses procedimentos são extremamente importantes para o sucesso do trabalho no combate à infecção hospitalar. Sem esses procedimentos toda a cirurgia corre o risco de insucesso posterior.

Da mesma forma, para realizar o trabalho do Senhor, precisamos estar cientes de três procedimentos importantíssimos que compõem o processo. Se não respeitarmos cada um desses procedimentos, cada uma dessas "coisas" que temos a fazer, poderemos encontrar insucessos e frustrações, tristezas, desmotivações e decepções.

Para ilustrar tão grande verdade, tomemos como exemplo a vida de Neemias. Ele recebera do Senhor uma grande tarefa: reconstruir os muros destruídos da cidade de Jerusalém. Aprendamos com ele, os procedimentos para fazer a obra do Senhor a contento. A princípio, saibas que para realizar a obra do Senhor, tu precisas…

1º - Orar ( Neemias 4.4,5 e 9)

"Ouve, ó nosso Deus, que somos tão desprezados, e caia o seu opróbrio sobre a sua cabeça, e faze com que sejam um despojo, numa terra de cativeiro. E não cubras a sua iniqüidade, e não se risque diante de ti o seu pecado, pois que te irritaram defronte dos edificadores."

"Porém nós oramos ao nosso Deus e pusemos uma guarda contra eles, de dia e de noite, por causa deles." 

Meus amados, a história de Neemias começa depois que ele ouve falar da situação de Jerusalém, sua terra. Ele fica sabendo da triste situação em que se encontra a cidade: o muro fora derrubado e os portões, queimados. Muito triste por isso, lamenta, jejua e pede ao Rei Artaxerxes para retornar a Jerusalém e reconstruir seus muros e portões porque no mundo antigo, os muros e portões da cidade não representavam apenas a questão da "Segurança", era muito mais, também representavam o "Orgulho Nacional". Os muros derrubados e as portas queimadas implicavam em uma figura de vergonha e desprezo nacionais. Logo após uma oração instantânea de Neemias, o rei não apenas permite que ele retorne, mas também concorda em financiar o projeto.

Apesar dos protestos dos não judeus (principalmente Sambalate e Tobias), Neemias viaja a Jerusalém e começa a execução do audacioso projeto de reconstrução. Primeiro, ele faz uma inspeção noturna, um diagnóstico, fornecendo um "laudo inicial" aos líderes de Israel e convoca-os para esse trabalho. A aceitação foi imediata! Conforme Neemias 2.18, os líderes proclamam: "…Levantemo-nos e edifiquemo-nos."

A partir desse momento, levantaram-se oposições acirradas à Neemias e sua equipe. Um certo Sambalate, Tobias e um árabe chamado Gesem zombam do plano, enxergando essa iniciativa como sendo uma rebelião contra o rei. Todavia, o obstinado Neemias não se abate e assegura aos três que o muro será reconstruído, de fato, sem a ajuda deles. Então, para facilitar a consecução do projeto, Neemias delega as tarefas dividindo-as em dez portas (setores) e a cada uma delas são designados os seus líderes específicos.

À medida que os judeus reconstroem o muro de Jerusalém, enfrentam várias dificuldades. Conflitam-se com o menosprezo e a zombaria dos pagãos, liderados por Sambalate e Tobias, inimigos, que ridicularizam os esforços deles na reconstrução dos muros. Essa dupla, ao ouvir que a construção progredia, tentou desanimar os judeus através de maus comentários acerca dos materiais de construção, dando a entender que os blocos de pedra calcária tinham sido queimados no fogo, e por isso, estariam inutilizados. Tobias ridicularizava os obreiros, dizendo que os muros eram tão frágeis que uma raposa poderia derrubá-los facilmente! (Neemias 4.3).

Nesse momento difícil, onde imperava a hostilidade e os conflitos externos ficavam cada vez mais fortes, Neemias ora ao Senhor pedindo-Lhe que castigue os inimigos. Como uma espécie de "desabafo", Neemias coloca diante de Deus toda a sua indignação com esses agressores rogando que tome cabo deles.

Veja, meu amado irmão, a atitude de Neemias: ele não partiu para agredi-los, para "acertarem as contas", usando de força física, armas ou brigas; nem um "bate boca" sequer! Simplesmente, ele entregou o caso a Deus e confiou!

Como aconteceu nos dias de Neemias, também acontece hoje em dia. O diabo sempre tenta te convencer que o teu trabalho é inútil e sem valor. Satanás nunca perde a oportunidade de zombar, apontando os teus defeitos pessoais, as tuas limitações, as dificuldades e resistências dos outros que estão na tua equipe, levanta "mitos falsos" de que você é incapaz, fraco, e que deveria estar investindo o teu tempo em outra coisa, talvez, em teus próprios afazeres e prazeres, deixando de investir na obra de Deus, afinal, existem muitos outros mais preparados que você! O pastor é pago pra isso, você não!

Mentira de Satanás! Irmão não pense assim!

Faça como fez Neemias. Nessas horas angustiantes quando o diabo levanta seus profetas para te afligir e desmotivar, zombando de ti, tentando enfraquecer a tua fé, conflitando-te com palavras do tipo "onde está o teu Deus?", apontando pequenos fracassos que surgem no decorrer da tua vida, tentando fazer uma tempestade num copo d'água usando falsos amigos que maquinam e proliferam fofocas e boatos, levantando falsos testemunhos, em nome de Jesus – dê um basta! Não digo que deves enfrentá-los e refutá-los ou, como nos filmes do velho Oeste Americano, fazer "justiça com as próprias mãos". Ajoelhe-se, ore, "desabafe" a situação com o Pai, confia e vai enfrente! Não se deixe intimidar por esses "profetas da mediocridade", simplesmente entrega os teus caminhos ao Senhor, confia n'Ele e tudo o mais Ele fará!

Não desista, insista. Quando trabalhas para Deus é muito natural que se levantem objeções, problemas, óbices e impeditivos. Muitos deles surgem e não estão sob o teu "campo de controle", todavia, como vistes no exemplo de Neemias, tudo o que empenhares em fazer para o Senhor, tu precisas fazê-lo orando e levando ao Pai as tuas "indignações", ansiedades, medos, conflitos interiores e exteriores, crendo que o Pai não te deixará sucumbir; Ele está no controle de tudo!

Visite: Pastor C@ssé

Nenhum comentário:

Seguidores