segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Bem-aventuranças VII



"Bem-aventurados os pacificadores, pois serão chamados filhos de Deus."
(Mateus 5.9 - NVI)

Imagem Mão pintada com a palavra PAZ

Em cada lição o Mestre nos mostra que quanto mais nos aproximamos de Deus, mais felizes nós somos. O Mestre é "o caminho" para chegarmos a Deus (João 14.6); quanto mais seguimos os passos do Mestre, mais parecidos com Ele nos tornamos e chegamos mais perto de Deus: Ele é o Cristo, nós somos cristãos; Ele é o Filho, nós também o somos por adoção... Ele é o Príncipe da Paz (Isaías 9.6), nós devemos ser "agentes" da mesma (pacificadores).

Antes de mais nada, é necessário entender que "paz" aqui não significa simplesmente ausência de guerras ou tribulações ou perturbações de ordem diversas; muito mais que isto, a paz é o estado espiritual que experimentamos ao nos aproximarmos de Deus através de Cristo (Romanos 5.1,2). É claro que isto nos faz evitar intrigas, brigas e qualquer outra forma de ação contra a paz (estabilidade emocional) geral; pois a paz que temos em Deus nos mobiliza a promover a paz entre os homens (Romanos 12.18).

Logo, nós como "agentes da paz" (pacificadores) precisamos levar a todos o Evangelho que nos faz ter paz com Deus, conosco e com os outros; e ao mesmo tempo precisamos promover a paz com ações, quando isto depender de nós. Levar o Evangelho da paz aos outros parece fácil, mas em paralelo nós precisamos agir externando a paz que temos com Deus por Cristo. Como fazer isto?

Vejamos o que Paulo ensinou aos irmãos que viviam em Éfeso:

... e tendo os pés calçados com a prontidão do evangelho da paz."
(aos Efésios 6.15 - NVI)

Só para esclarecer, Paulo falava que devemos nos vestir de toda armadura de Deus para ficarmos firmes quando enfrentarmos as ciladas do Diabo. Devemos calçar os nossos pés na preparação do evangelho da paz, para que os nossos passos sejam "passos de pacificadores", e onde pisarmos a paz de Deus florescerá. As nossas ações (nossos passos) devem nos conduzir pelo caminho da paz, conservando-a em nós e transmitindo-a aos outros, e devemos evitar qualquer ação que impeça a frutificação da paz, enquanto isto depender de nós.

Tomem cuidado com as ciladas do Diabo; pois ele inventou uma cilada chamada "fundamentalismo religioso" (ou extremismo) na qual a religião se torna mais importante que o próprio Deus: pois quando Deus diz que devemos "amar o próximo" como a nós mesmos (o segundo maior mandamento da Lei; Mateus 22.34-40) o "fundamentalismo" diz que devemos evitar os que ainda não foram alcançados, ou pior, devemos tratá-los como "filhos do Diabo". Não siga por aí, siga a Cristo e leve o Evangelho a quem precisar, promovendo a paz com suas ações, e você será feliz sendo reconhecido como "filho de Deus".

Que a graça e a paz de Deus sejam com o seu espírito.

Tenha uma ótima semana!

Nenhum comentário:

Seguidores