quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Filhos para glória de Deus




11 Veio para o que era seu, mas os seus não o receberam.
12 Contudo, aos que o receberam, aos que creram em seu nome, deu-lhes o direito de se tornarem filhos de Deus,
13 os quais não nasceram por descendência natural, nem pela vontade da carne nem pela vontade de algum homem, mas nasceram de Deus.


Graça e paz sejam multiplicadas a você.
Mais um ano entra em curso (ou pelo menos esta é uma maneira de enxergar a coisa...) e o que temos planejado? Que metas temos definido? Qual será o próximo passo que daremos?
Seja o que for que tenhamos em mente para 2013, é importante considerar um ponto da nossa vida na fé, e é essencial que o façamos da maneira correta. O ponto é: somos filhos de Deus.
Você pode se perguntar:
— Existe uma maneira incorreta de consideramos o fato de que temos Deus por pai?!
Bem, não deveria existir, mas, ao que parece, existe. Não é raro notar arrogância, ganância, falta de temor a Deus e hipocrisia nas declarações daqueles que estufam o peito para se auto-proclamarem filhos de Deus.
Às vezes há até quem defina as características dos verdadeiros filhos de Deus — ainda que o próprio Deus não tenha feito menção no seu contrato de adoção — como sendo a prosperidade material, a imunidade às doenças, a superioridade sobre os demais homens (pecadores inúteis, depravados e distantes dos méritos que os tornariam filhos de Deus...) etc. Mas os filhos que Deus adotou não foram adotados por serem bonzinhos, tampouco o foram para se tornarem ricos, invulneráveis ou coisa parecida.
Lembremos do Filho de Deus que viveu entre nós, aquele que nos dá o direito de também sermos filhos pelo simples fato de crermos no seu nome, e vejamos o quanto ele se fez pobre e o quanto ele sofreu por nós (O contrato da nossa adoção foi carimbado com sangue e sangue inocente!). Olhando para ele é que podemos entender o que é ser filho de Deus.
Há muitos que se dizem filhos de Deus e decretam, proclamam, exigem e declaram o que Deus deve (ou é obrigado) a fazer por eles. Isto é ser filho? Outros vivem de toda maneira, porque Deus é amor, Ele é um paizão que nos ama e sempre nos receberá de braços abertos. É assim que se comportam os filhos de Deus?
Jesus não exigia, ele pedia, orava, rogava; e inclusive rogou ao Pai por aqueles que seriam seus irmãos adotivos:
1 Depois de dizer isso, Jesus olhou para o céu e orou: "Pai, chegou a hora. Glorifica o teu Filho, para que o teu Filho te glorifique.

6 "Eu revelei teu nome àqueles que do mundo me deste. Eles eram teus; tu os deste a mim, e eles têm guardado a tua palavra.
7 Agora eles sabem que tudo o que me deste vem de ti.
8 Pois eu lhes transmiti as palavras que me deste, e eles as aceitaram. Eles reconheceram de fato que vim de ti e creram que me enviaste.
9 Eu rogo por eles. Não estou rogando pelo mundo, mas por aqueles que me deste, pois são teus.
--
(grifo meu)

Jesus também não abusava do amor do Pai. Ele obedecia, glorificava o Pai e não a si mesmo (o Pai é quem o glorificaria):
2 Pois lhe deste autoridade sobre toda a humanidade, para que conceda a vida eterna a todos os que lhe deste.
3 Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.
4 Eu te glorifiquei na terra, completando a obra que me deste para fazer.
5 E agora, Pai, glorifica-me junto a ti, com a glória que eu tinha contigo antes que o mundo existisse.

Tomando como parâmetro a vida de Jesus, o Filho Unigênito de Deus, podemos notar que ser filho de Deus implica em amar a Deus, temer a Deus, obedecer a Deus, buscar glorificar a Deus. Ser filho de Deus é portar-se como Jesus.
Não ignoro nossa incrível capacidade de errar, porém é em Jesus que somos feitos filhos de Deus, mediante a fé. Não podemos por nossos próprios esforços alcançar a medida de Cristo, mas Cristo é o alvo; olhemos para ele, andemos como ele e assim é que nos portaremos como filhos [para a glória] de Deus.
5 Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus,
6 que, embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se;
7 mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens.
8 E, sendo encontrado em forma humana, humilhou-se a si mesmo e foi obediente até à morte, e morte de cruz!

Um comentário:

Débora Eduarda disse...

"Mas os filhos que Deus adotou não foram adotados por serem bonzinhos, tampouco o foram para se tornarem ricos, invulneráveis ou coisa parecida."

"[...]podemos notar que ser filho de Deus implica em amar a Deus, temer a Deus, obedecer a Deus, buscar glorificar a Deus. Ser filho de Deus é portar-se como Jesus."

Que o Senhor continue usando a sua vida para abençoar a minha e a de muitas outras pessoas! :D Graças dou pela palavra de Deus aqui explanada. Deus o abençoe!

Seguidores