sábado, 14 de março de 2009

Decisão: Momentânea ou Eterna?



Gênesis 39:

6 E deixou tudo o que tinha na mão de José, de maneira que nada sabia do que estava com ele, a não ser do pão que comia. E José era formoso de porte, e de semblante.

7 E aconteceu depois destas coisas que a mulher do seu senhor pôs os seus olhos em José, e disse: Deita-te comigo.

8 Porém ele recusou, e disse à mulher do seu senhor: Eis que o meu senhor não sabe do que há em casa comigo, e entregou em minha mão tudo o que tem;

9 Ninguém há maior do que eu nesta casa, e nenhuma coisa me vedou, senão a ti, porquanto tu és sua mulher; como pois faria eu tamanha maldade, e pecaria contra Deus?

10 E aconteceu que, falando ela cada dia a José, e não lhe dando ele ouvidos, para deitar-se com ela, e estar com ela,

11 Sucedeu num certo dia que ele veio à casa para fazer seu serviço; e nenhum dos da casa estava ali;

12 E ela lhe pegou pela sua roupa, dizendo: Deita-te comigo. E ele deixou a sua roupa na mão dela, e fugiu, e saiu para fora.

Nota: Bíblia Sagrada - Almeida Corrigida e Revisada Fiel (Ed. 1994)


Imagem José e a Mulher de Potifar

Com certeza a mulher de Potifar (oficial de Faraó) não era uma qualquer; certamente era uma mulher poderosa e bela, provavelmente o que todo jovem desejava/deseja.

É como um doce na frente de uma criança que está sendo orientada a não comê-lo. Uma vez li que foi feito um estudo da vontade humana. Foi dada uma bolacha para uma criança com promessa de que, se ela não a comesse nos próximos cinco minutos, ganharia outra bolacha. Algumas das crianças dessa experiência "resistiram a tentação", mas outras não.

José poderia possuí-la (a mulher de Potifar); ela estava em suas mãos. Era preciso uma decisão. Eles estavam sozinhos! Sorte a dele, certo? Errado! Muitas vezes podemos nos deparar com situações semelhantes... E o que fazer? Se deixar levar pela situação momentânea?

José mostrou muita maturidade ao demonstrar profundo temor a Deus e pensar além da situação. Ele olhou para as verdades eternas que, com certeza, valem a pena. E olhando assim foi direcionado à decisão certa.

Quantas vezes somos tentados a sacrificar uma bênção espiritual e eterna para satisfazer um desejo físico e temporário? Você se comprometeria a seguir o plano de Deus mesmo que isso signifique adiar sua gratificação?

Pense nisso...

Que Deus nos dê autocontrole e nos direcione à decisão certa.

Abraços!

Nenhum comentário:

Seguidores