quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

A família de Deus



"Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos", perguntou ele.
  E, estendendo a mão para os seus discípulos, disse: "Aqui estão minha mãe e meus irmãos!
  Pois quem faz a vontade de meu Pai que está nos céus, este é meu irmão, minha irmã e minha mãe
".
 (Mateus 12.48-50 - NVI; ênfase minha)

A família é uma instituição de grande importância para o indivíduo e para a sociedade; e como as famílias tem sofrido distúrbios, divisões e outros efeitos da inversão de valores contemporânea, é dever nosso buscar a restauração delas, que são a base da sociedade. Também é importante entender que Deus, através de Cristo, não só nos livrou de uma condenação eterna, como também nos fez parte da sua família, ou seja, Deus quer que nos tratemos como irmãos e participantes da mesma herança, sabendo que Jesus veio ao mundo para que tivéssemos esse direito (João 1.12,13; Romanos 8.17).

Agora que estamos em Cristo, somos uma família. Jesus dava tanta importância a esta "família da fé" quanto à sua própria "família de sangue". É o que observamos no trecho em destaque; e note-se que, ainda que alguns dêem honra especial a certos homens de Deus do passado e do presente, o Santo Filho de Deus coloca-se ao nosso lado como nosso irmão (ainda que em tudo seja superior a nós) e nos faz enxergar que somos todos participantes da "Família de Deus".

Ninguém deve sentir-se inferior aos demais, mas todos devemos respeito ao próximo. Quando Jesus nos convida a realizar a vontade do Pai, ele diz que devemos amar a Deus (nosso Pai), acima de todas as coisas e ao nosso próximo (aqueles que necessitarem de nós, inclusive os irmãos) "como a nós mesmos", e não acima de nós. O amor e respeito que devemos a cada um de nossos irmãos deve ser compatível com o amor e respeito que devemos à nossa própria vida. É assim que nos comportamos como filhos, buscando em tudo agradar ao nosso Pai.

Notem ainda que quem esperava falar com Jesus, no contexto da passagem em apreço, era sua "mãe e seus irmãos".

Falava ainda Jesus à multidão quando sua mãe e seus irmãos chegaram do lado de fora, querendo falar com ele.
(Mateus 12.47 - NVI; grifo meu)

Jesus estava a ensinar seus discípulos, e ele, como se alguém insistisse que fosse ter com sua família, diz que aqueles que o ouviam eram "sua mãe e seus irmãos", ou seja, eram tão importantes quanto aqueles que o esperavam do lado de fora. Nem mesmo Maria, a mãe de Jesus, foi colocada à parte dessa comparação:

"Pois quem faz a vontade de meu Pai que está nos céus, este é meu irmão, minha irmã e minha mãe".
(Mateus 12.50 - NVI; grifo meu)

Isso não significa que Jesus não considerava sua mãe; pelo contrário, ele a considerava e amava muito, pois era seu filho e seu salvador. E é com essa mesma consideração e amor que Jesus trata a cada um dos que buscam fazer a vontade de Deus.

Alegre-se por fazer parte desta família que é unida por laços eternos!

Que a graça e a paz do Senhor Jesus estejam com você.

Um abraço.

Nenhum comentário:

Seguidores