quinta-feira, 16 de outubro de 2008

10 Perguntas a Serem Feitas em Situação de Risco Ético V



Foto Homem, mulher e maçã

6º - Estás agradando a Deus ou aos homens? Colossenses 3.23 [1]

Na vida cristã nós vemos surgir verdadeiras armadilhas, como testes para a fé e a convicção do autêntico servo de Deus. Um exemplo marcante de desrespeitos aos princípios éticos, vemos claramente na conduta de certos políticos que se dizem "evangélicos", em câmaras municipais, em assembléias legislativas e até no Congresso Nacional. Em determinados momentos críticos onde se esperava um posicionamento sério ante as injustiças e à corrupção, parlamentares "crentes" estão ficando ao lado daqueles que não atendiam aos legítimos interesses do povo (e muito menos do povo evangélico que o elegeu), em troca de favores, de emissoras de rádio, de verbas públicas, de cargos, agindo para agradar aos homens e não ao Senhor. Atitudes antiéticas e anticristãs.

Talvez muitos desses tenham se esquecido do exemplo de Daniel, de Sadraque, de Mesaque e de Abedenego, que mantiveram a sua fé firme, mesmo ante uma ordem nefanda do rei. Daniel preferiu à cova e os seus três amigos à fornalha.

A pergunta chave é a mesma que Paulo fez em Gálatas 1.10 – "…persuado eu agora a homens ou a Deus? Ou procuro agradar a homens?…". Tu deves fazer esta pergunta de forma séria, procurando uma resposta honesta e consultando também a palavra de Deus e evitando a conveniência.

Sim, mas também é bom estar ciente que antes de agir você precisa saber se:

7º - A tua atitude irá trazer escândalo aos que são mais fracos na fé? I Coríntios 8.9-13 [2]

Meus irmãos, ao analisar mais profundamente, verão que neste contexto de Coríntios, Paulo ensinava sobre os que comiam coisas sacrificadas aos ídolos. Ele diz que os mesmos tinham "fraca consciência" e que os que têm ciência, sentando-se à mesa no templo dos ídolos, podem induzir o que é fraco a pecar. "E, pela tua ciência, perecerá o irmão fraco, pelo qual Cristo morreu…ferindo a sua fraca consciência, pois pecais contra Cristo!". Desse texto, observamos que podemos tirar várias lições para a nossa vida, no que diz sentido ao relacionamento com outros irmãos mais novos na fé, ou mesmo antigos, porém de consciência fraca. Paulo chega ao extremo de dizer que se pelo manjar que come, um irmão se escandaliza, nunca mais haveríamos de comê-lo.

Se abrirmos a nossa Bíblia em Romanos 14.13-20 [3], veremos que Paulo reforça bem esse entendimento ético. Podemos concluir, então, que por este princípio e por amor ao próximo, muitas vezes precisamos nos abster de realizarmos coisas em que a nossa consciência, através da Palavra, não consegue ver mal algum, mas, que por questões culturais ou consuetudinárias (de costume), outros mais fracos não enxergam com a mesma ótica. Para não escandalizá-lo, simplesmente devemos declinar nossas atitudes, por amor a ele. Isso se chama maturidade cristã!

A pergunta toma mais corpo quando analisada assim: o que pretendo fazer, o faço com certeza de fé? E essa certeza é fundamentada na Palavra de Deus? Tem respaldo na Bíblia? Não é fruto apenas da minha consciência falha, ou do meu coração enganoso?

Dependendo da resposta, deve ser realizado ou não.

[1] "23 E tudo quanto fizerdes, fazei-o de coração, como ao Senhor, e não aos homens,"

[2] "9 Mas, vede que essa liberdade vossa não venha a ser motivo de tropeço para os fracos. 10 Porque, se alguém te vir a ti, que tens ciência, reclinado à mesa em templo de ídolos, não será induzido, sendo a sua consciência fraca, a comer das coisas sacrificadas aos ídolos? 11 Pela tua ciência, pois, perece aquele que é fraco, o teu irmão por quem Cristo morreu. 12 Ora, pecando assim contra os irmãos, e ferindo-lhes a consciência quando fraca, pecais contra Cristo. 13 Pelo que, se a comida fizer tropeçar a meu irmão, nunca mais comerei carne, para não servir de tropeço a meu irmão."

[3] Romanos 14.13-20 Portanto não nos julguemos mais uns aos outros; antes o seja o vosso propósito não pôr tropeço ou escândalo ao vosso irmão.

14 Eu sei, e estou certo no Senhor Jesus, que nada é de si mesmo imundo a não ser para aquele que assim o considera; para esse é imundo.

15 Pois, se pela tua comida se entristece teu irmão, já não andas segundo o amor. Não faças perecer por causa da tua comida aquele por quem Cristo morreu.

16 Não seja pois censurado o vosso bem;

17 porque o reino de Deus não consiste no comer e no beber, mas na justiça, na paz, e na alegria no Espírito Santo.

18 Pois quem nisso serve a Cristo agradável é a Deus e aceito aos homens.

19 Assim, pois, sigamos as coisas que servem para a paz e as que contribuem para a edificação mútua.

20 Não destruas por causa da comida a obra de Deus. Na verdade tudo é limpo, mas é um mal para o homem dar motivo de tropeço pelo comer.

Visite: Pastor C@ssé

Nenhum comentário:

Seguidores