sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Uma avaliação



"Por que vocês me chamam 'Senhor, Senhor' e não fazem o que eu digo?" (Lucas 6.46 - NVI)

Imaginem a seguinte situação:

O senhor 'Z' é um simples funcionário na empresa do senhor 'X'. Em uma reunião, o senhor 'X' faz com que todos os funcionários, inclusive o senhor 'Z', saibam que regras devem obedecer para que continuem trabalhando naquela empresa. Além disto, o senhor 'X' fez com que fossem afixadas cópias do resumo das "exigências" nos diversos departamentos da empresa. As exigências diziam respeito ao comportamento que os empregados deveriam adotar em diversas situações (ajudar alguém em uma tarefa mais difícil, sempre usar EPI, não fumar nas dependêcias da empresa etc). E o senhor 'Z', mesmo tendo conhecimento das "normas", porta-se de maneira contrária, é um opositor; mas respeita a pessoa do patrão, sempre chama-o de "patrão", "meu patrão" etc, e trata-o com toda cordialidade e "respeito".

Que tipo de funcionário seria o senhor 'Z', tomando as normas da empresa como critério de avaliação?
Alternativas:

  1. Ótimo;
  2. Bom;
  3. Regular
  4. Ruim;
  5. Péssimo;

Alternativa "e", com certeza.

Agora vamos mudar a história. A empresa passa a ser o mundo em que vivemos, eu e você somos funcionários, a bíblia é o manual que contém as normas, Deus é o "patrão". Que tipo de funcionários nós temos sido? Será que somos daqueles que apenas dizem "Senhor, Senhor" (cantam, oram, pregam, dizem "eu tenho orgulho de ser cistão" etc) e agem de forma contrária à vontade de Deus revelada em Sua palavra? Será que somos como o senhor 'Z'?

Não é somente levar o nome de Deus nos lábios, ser reverente nos cultos (parecer "bonzinho diante do patrão"), manter uma aparência piedosa que nos fará sermos aceitos. Vamos refletir e mudar nossas atitudes, antes que sejamos "demitidos".

Fiquem na santa Paz do Senhor Jesus!

Um abraço.

Nenhum comentário:

Seguidores