sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Lições de Cristo I



"Não julgueis, para que não sejais julgados."
(Mateus 7.1 – Almeida C. e R. Fiel – ed. 1994)

Imagem JulgarPosso imaginar CRISTO ensinando. E quando faço isso, visualizo a excelência da comunicação de homem coroada com a sabedoria de DEUS. Ao proferir uma pequena frase nos deixou pelo menos duas grandes lições. Mas hoje, observaremos apenas uma delas: o quanto são falhos nossos julgamentos, e por isso não devemos fazê-los. Para que você compreenda melhor essa lição de CRISTO, vou lhe contar uma estória um tanto comum, mas que ilustra bem essa lição.

Eram dois vizinhos, o primeiro comprou um coelho para os filhos, ao mesmo tempo em que o outro comprou um cão pastor alemão. Numa conversa de vizinho:
─ Mas ele vai comer o meu coelho.
─ De jeito nenhum. Eles são filhotes vão crescer juntos, pegar amizade. Entendo de bicho.

E parece que o dono do cão tinha razão. Cresceram juntos e amigos ficaram. Era comum ver o coelho no quintal do cachorro e vice-versa. Eis que o dono do coelho foi passar um final de semana na praia com a família e o coelho ficou sozinho. Domingo, à tardinha, o dono do cachorro e a família tomavam um lanche, quando entra o pastor alemão na cozinha. Pasmo, trazia o coelho entre os dentes, todo imundo, arrebentado, sujo de terra e, é claro, morto. Quase mataram o cachorro de tanto agredi-lo. Dizia o homem:
─ O vizinho estava certo, e agora? Só podia dar nisso!

Mais algumas horas e os vizinhos iam chegar. E agora?!

Todos se olhavam. O cachorro, coitado, chorando lá fora, lambendo os seus ferimentos. Já pensaram como vão ficar as crianças? Não se sabe exatamente quem teve a idéia, mas parecia infalível:
Vamos lavar o coelho, deixá-lo limpinho, depois a gente seca com o secador e o colocamos na sua casinha. E assim fizeram. Até perfume colocaram no animalzinho. Ficou lindo, parecia vivo, diziam as crianças. Logo depois ouvem os vizinhos chegarem. Notam os gritos das crianças.
─ Descobriram!

Não passaram cinco minutos e o dono do coelho veio bater à porta, assustado. Parecia que tinha visto um fantasma.
─ O que foi? Que cara é essa?
─ O coelho, o coelho ...
─ O que tem o coelho?
─ Morreu!
─ Morreu? Ainda hoje à tarde parecia tão bem.
─ Morreu na sexta-feira!
─ Na sexta?
─ Foi antes de viajarmos, as crianças o enterraram no fundo do quintal e agora reapareceu!

O que realmente aconteceu:
O cão depois de muito farejar, descobre o corpo morto e enterrado. O que faz ele... Provavelmente com o coração partido, desenterra o amigo e vai mostrar para seus donos, imaginando fazer ressuscitá-lo.

E o ser humano continua o mesmo. Por causa da corrupção do pecado acredito. Com sua capacidade de julgar comprometida por uma série de fatores tais como: o preconceito, a visão limitada, dentre outros. CRISTO há mais de dois mil anos, já nos aconselhava a não julgarmos. Ele sabia do que falava. Não só para os Fariseus de sua época, mas para eternizar uma lição tão maravilhosa. Que se a pusermos em prática, com certeza seremos pessoas melhores.

(continua...)

Nenhum comentário:

Seguidores