quinta-feira, 7 de maio de 2009

Confiando em Deus



Salmo 37

1 Não se aborreça por causa dos homens maus e não tenha inveja dos perversos;.

2 pois como capim logo secarão, como a relva verde logo murcharão.

3 Confie no Senhor e faça o bem; assim você habitará na terra e desfrutará segurança.

4 Deleite-se no Senhor, e ele atenderá os desejos do seu coração.

5 Entregue o seu caminho ao Senhor; confie nele, e ele agirá:

6 ele deixará claro como a alvorada que você é justo, e como o sol do meio-dia que você é inocente.

7 Descanse no Senhor e aguarde por ele com paciência; não se aborreça com o sucesso dos outros, nem com aqueles que maquinam o mal.

Nota: Bíblia Sagrada - Nova Versão Internacional (NVI).


Que a graça e a paz do Senhor Jesus estejam sobre a sua vida.

O texto a seguir introduz a reflexão e é baseado em fatos do cotidiano (com alguns recursos ilustrativos, é claro); qualquer semelhança [não] é mera coincidência.

FOTO Garoto assistindo tevê

De repente você está diante da sua TV, zapeando despreocupadamente, procurando algo que o atraia. A programação televisiva está tão decadente que pouco se aproveita dela; mas lá está você... ZAP! E você vê um sujeito bem vestido e sorridente contando as vantagens de um produto novo (algo que continua novo desde o ano passado, talvez porque ninguém tenha comprado um ainda)... e novamente ZAP! Agora você está diante de cenas da violência gratuita praticada pelos jovens de alguma metrópole com nome de santo... mas aquilo nem é interessante (a menos que você aprecie aquelas cenas), afinal você quer algo que lhe prenda a atenção, algo que lhe traga alguma alegria...

E... ZAP! Agora tem um gordinho na TV, ele parece sério, tem uma aparência grave, a entonação da voz tem um ar de autoridade, mas logo ele começa a fazer 'piadas'; e lá vem ele oferecendo um 'cimento ungido', é o 'cimento da casa própria' ou do 'negócio próprio' (talvez você possa abrir um armazém de materiais de construção ungidos...).

O 'ilustre' apresentador continua a informar o que você pode obter através das propriedades milagrosas daquele produto exclusivo, mas você não quer aquilo; daí é "ZAP!" de novo. Você imagina que vai fugir daquela atuação de quinta categoria e das promessas incríveis que só se alcança através de um saquinho de cimento, mas você estava errado... existem coisas piores. O apresentador do outro canal, que estava debatendo algo com um colega de voz idêntica (acho que eles fazem curso pra imitar ou aquilo tudo é dublado pelo patrão deles...), vira para a tela e chama uma vinheta. E imediatamente um narrador, semelhante àqueles que anunciam lançamentos cinematográficos, começa a dizer que você é o bonzão, que você deveria ser muito abençoado, que você deveria desfrutar das bênçãos dos céus (daí aparecem carros importados, apartamentos de luxo – me pergunto se no céu existem essas coisas... – tudo muito 'atraente').

E ele diz que se você está na fé, você deveria se revoltar e ir tomar satisfações com Deus. Porque as pessoas más estão prosperando ao seu redor enquanto você, que é filho de Deus, continua na pindaíba. É nessa hora que Deus senta do seu lado, pede o controle remoto, desliga a TV e recomenda que você vá ler um livro. Em consideração ao visitante, você vai até a estante e pega sua bíblia. Como ela estava acostumada a ficar aberta no livro dos Salmos, você tenta folheá-la, mas não vai muito longe e para exatamente diante do Salmo 37.

Deus deixa você ler à vontade, e você vai tomando gosto pela leitura, desde o primeiro verso. E logo você nota que aqueles versos te trazem conselhos valiosos e te incentivam a confiar em Deus; diferente da propaganda do 'cimento ungido' ou da vinheta que incitava à revolta e indignação diante da 'prosperidade dos ímpios'...

Nota: 'Você vê TV e Deus te vê', por Isaac Marinho.

Refletindo...

O Salmo traz ao nosso coração a idéia de que não devemos nos preocupar com a vida alheia, com o que os outros ganham ou deixam de ganhar (ou como eles ganham ou deixam de ganhar alguma coisa). Deixo claro aqui que não estou falando em ser conivente com ações ilícitas, mas, sim, deixar de ser paranóico e invejoso. Nossa preocupação deve ser em como temos agido servindo ao Senhor. Temos depositado nEle a nossa confiança? Ou será que confiamos em outras coisas como a oração de um certo irmão, a imposição de mãos de outro, os amuletos que alguém distribui num templo, adesivos que afastam isso e atraem aquilo... Enfim, onde está a nossa confiança?

Quem confia em Deus não vive fazendo conta da prosperidade daqueles que agem injustamente, pois sabe que a prosperidade deles é passageira como a sua própria vida. Mas ele, que tem uma esperança eterna, prossegue persistindo em fazer o bem, pois a sua alegria está em agradar ao Senhor. Ele entrega a Deus o seu caminho, pede que Deus dirija sua vida e confia na orientação do Senhor. Dessa forma ele vive em paz e segurança, é feliz e vê seus propósitos sendo estabelecidos; o próprio Deus faz com que todos saibam da integridade daquele que se coloca em Suas mãos; sim, Deus o justifica e exalta, porque ele entregou ao Senhor a direção da sua vida, confiou nEle e sentiu-se seguro em fazê-lo.

Siga confiando em Deus, persevere na prática do bem, tenha prazer em ser filho de Deus. Confie, lembrando que o Pai sabe bem como cuidar dos seus filhos.

Um forte abraço.

Nenhum comentário:

Seguidores